Congregação de Nossa Senhora – Cônegas de Santo Agostinho

Home/Congregação de Nossa Senhora – Cônegas de Santo Agostinho
Congregação de Nossa Senhora – Cônegas de Santo Agostinho 2017-10-11T12:04:28+00:00

A Congregação de Nossa Senhora – Cônegas de Santo Agostinho, nasceu na pequena cidade de Mattaincourt (França), na noite de Natal de 1597, com Alix Le Clerc, a quem se juntaram quatro companheiras, sob as bênçãos do padre Pedro Fourier. O contexto sócio-político-religioso-cultural da época era desfavorável: guerra pela independência do Ducado da Lorena (ao qual pertencia a cidade dos nossos fundadores), empobrecimento, reforma na Igreja Católica, corrupção de costumes, injustiças sociais, ignorância.

Abrindo-se às necessidades das cidades bem como às dos burgos e aldeias, as jovens Irmãs visitavam os doentes e necessitados. Perceberam, assim, quanto a mulher era desprezada pela sociedade, não tendo direito sequer à instrução. Corajosas, decidiram enfrentar o desafio de se dedicar especialmente à educação das meninas, pensando em formá-las para participar da vida em sociedade, colaborando para mudá-la. Fundaram, então, a primeira escola da Congregação, em 1598, em Poussay, próxima de Mattaincourt.

Uma escola que acolhia pobres e ricos, católicos e protestantes, todos tratados com o mesmo respeito pelas suas mestras. As alunas que se destacavam eram formadas, por sua vez, para ensinar. Alix Le Clerc realizava, dessa forma, sua vocação de “fazer uma nova casa de religiosas para praticarem todo o bem possível”.

Nascida em Remiremont, na Lorena, em 1576, a bem-aventurada Alix Le Clerc tinha 23 anos, quando, junto com outras quatro companheiras, fundou a Congregação de Nossa Senhora Cônegas de Santo Agostinho. Alix morreu aos 46 anos, em Nancy, França, e foi beatificada em 1947.

O fundador da Congregação de Nossa Senhora (CSA), São Pedro Fourier, nasceu em Mirecourt, outra pequena cidade próxima a Mattaincourt, em 1565. Cursou a Universidade de Pont-à-Mousson, fundada pelos jesuítas.

A espiritualidade de Santo Agostinho, com sua ênfase no amor e na liberdade, foi a inspiração de toda a sua vida e de sua ação apostólica. Seu lema era: “Fazer o bem a todos e mal a ninguém”. Morreu em 1640 e foi canonizado em 1897.